terça-feira, 21 de março de 2017

Identificação das borboletas

Acho que em algumas postagens eu esqueci de dizer sobre duas pessoas muito importantes e que me ajudam na identificação das borboletas:

- Dra. Rosamary Vieira e Dr. Márcio Uehara.

Muito obrigado pela ajuda!

Anartia jatrophae

Anartia jatrophae

Classe: Insetos

Ordem: Lepdoptera

Família: Nymphalidae

Borboleta do continente americano, ocorre do centro-sul dos Estados Unidos (pra onde migra) até a Argentina. Comum em áreas tropicais e sub-tropicais.

Habita áreas abertas, úmidas e até locais mais urbanizados e antropizados.

Dentre as plantas hospedeiras das lagartas estão o bacopá (Bacopa monnieri), Ruellia, Blechnum, Phyla, erva-cidreira (Melissa officinalis), Menta (Mentha sp) e erva-cidreira-brasileira (Lippia alba). Os adultos se alimentam de erva-baleeira (Cordia verbenaceae), cipó-guaçu (Caesaria sylvestris), picão-preto (Bidens pilosa) dentre outras.

Os machos patrulham ou perseguem outros machos (para assegurar o uso das áreas de alimentação) e fêmeas para localizar as fêmeas para se reproduzir. Um estudo no sul da Flórida demonstrou que os machos são territorialistas.

A foto foi tirada na região da Estrada da Emade, no município de Tefé, Amazonas.

Fontes:

Host plant-based territoriality in White peacock butterfly, Anarthia Jatrophae (Lepdoptera: Nymphalidae)


http://www.butterfliesandmoths.org/species/Anartia-jatrophae

quarta-feira, 1 de março de 2017

bico-de-brasa-de-testa-branca

bico-de-brasa-de-testa-branca (Monasa morphoeus)

Classe: Aves

Ordem: Galbuliformes

Família: Bucconidae

Bonita e simpática espécie que ocorre em grande parte do Brasil (Mata Atlântica e Amazônia - Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso ao Acre) e na América Latina até Honduras.

Muito confiada, responde muito bem ao playback. Ao ouvir o som, chega perto e fica alguns minutos parada (provavelmente é um hábito do gênero, pois Monasa nigrifrons também deixa se aproximar bastante). Ocorre em bordas e no interior de matas, empoleirando nos estratos médio e alto das árvores. Já observei a espécie em alguns fragmentos de mata na região de Tefé (a foto foi tirada no Ramal da Paz, 12 km da Estrada da Emade), mas sempre naqueles mais bem preservados, mesmo que recortados por algumas áreas de roça.

Se alimenta de artrópodes. Assim como outras espécies da família, fica a espreita, no galho, e voa em direção ao inseto. Volta ao mesmo local ou próximo dele. Também pode seguir bandos mistos de aves e de macacos, capturando os pequenos animais que estão em fuga.

Nidificam em buracos no chão ou em barrancos. Deposita três ovos. OS filhotes são alimentados pelos pais e por outros indivíduos do bando (o máximo que vi juntos foram 4 indivíduos).

Está fora de perigo de extinção.

Fontes:

Ornitologia Brasileira - Helmut Sick

www.wikiaves.com

www.birdlife.org

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

batuqueiro

batuqueiro (Saltatricula atricollis)

Classe: Aves

Ordem: Passeriformes

Família: Thraupidae

Bonita ave com o bico alaranjado e o pescoço e garganta pretos. Possui cerca de 20 centímetros.
Ocorre em grande parte do centro-sul e nordeste do Brasil. Também no Paraguai e na Bolívia.

Habita áreas abertas, campos cerrados, campos cerrados e caatingas. Sua alimentação é baseada em frutos e artrópodes.

Se reproduz bastante, cerca de duas a três vezes ao ano. A fêmea deposita dois a três ovos, que demoram, mais ou menos, duas semanas para eclodirem.


Está fora de perigo de extinção. 

Fontes:

www.wikiaves.com

www.iucnredlist.org

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Temenis laothoe

Temenis laothoe
Classe: Insetos

Ordem: Lepdoptera

Família: Nymphalidae

Cada vez mais tenho vontade de tirar fotos de borboletas e mariposas (Butterflywatching?), mas é muito difícil achar informações sobre ambas. Mariposas, então, nem se fala. Até descobrir qual a espécie é complicado. A grande maioria das identificações de lepdopteros que tenho agradeço à professora  Dra. Rosamary Vieira e ao Dr. Márcio Uehara.

Não é diferente com a Temenis laothoe, espécie tropical, cuja distribuição inclui Brasil, Colômbia, Equador, Paraguai, Guiana Francesa, Costa Rica, El Salvador, Honduras e México.

Habita áreas florestais. A foto foi tirada na margem de um igarapé bem longe da cidade de Tefé (cerca de 15 km de estrada de asfalto, mais uns 5 km mata adentro), mas próximo a comunidades e roçados.

Adultos se alimentam de néctar e plantas em decomposição. Dentre as plantas hospedeiras das 
lagartas, estão algumas das famílias Malpighiaceae e Sapindaceae.

Fontes:


http://www.amazonian-butterflies.net

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Taygetis cf sosis

Taygetis cf sosis
Classe: Insecta

Ordem: Lepdoptera

Família: Nymphalidae

Mais uma borboleta com pouca informação. Ocorre do sul do México ao Brasil, Peru e Suriname.
De acordo com o estudo encontrado, Taygetis sosis, assim como alguns de seus congêneres, costuma se associar em áreas com grande quantidade de cipós e lianas, provavelmente seguindo a distribuição de suas plantas hospedeiras e que servem de alimento para os adultos.

As espécies do gênero costumam utilizar gramíneas como hospedeiras.

Fontes:



Effect of Tree-Fall Gaps on Fruit-Feeding Nymphalid Butterfly Assemblages in a Peruvian Rain 

Forest – 2013 - Sylvia Pardonnet, Harald Beck, Per Milberg and Karl-Olof Bergman

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

sagui

sagui (Saguinus pileatus)

Classe: Mamíferos

Ordem: Primatas

Família: Callitrichidae

Na bibliografia mais antiga essa espécie é considerada como subespécie de Saguinus mystax (S. m. pileatus). S. pileatus ocorre ao sul do rio Solimões e a oeste do rio Purus. É bastante comum na região de Tefé, ocorrendo, inclusive, em áreas urbanizadas. Sempre observamos no campus do Instituto Mamirauá, localizado na margem direita do lago Tefé, sempre em grupos (ambas as fotos). Já observei, também, em buritizais na beira da estrada da Agrovila e em ramais de terra firme, em fragmentos florestais mais preservados.

Possui a região labial de coloração branca e um topete alaranjado bastante característico. O dorso é escuro, com listras acizentadas.

Assim como outras espécies do gênero, são generalistas, se alimentando de insetos e frutas (o indivíduo sozinho da foto estava se alimentando de mangas junto ao grupo dele). São diurnos. 
Ocupam o estrato médio e alto das árvores, mas é possível observá-los frequentemente no solo.

Está fora de perigo.

Fontes:

A taxonomic review of the titi monkeys, genus Callicebus Thomas, 1903, with tht description of two new species, Callicebus bernhardi and Callicebus stephennashi, from brazilian Amzonia – Neotropical Primates, 2002 - Marc G. M. van Roosmalen , Tomas van Roosmalen , and Russell A. Mittermeier

www.iucnredlist.org

Mammal of the Neotropics (The Central Neotropics) – John Eisenberg e Kent Redford